BUSCA

Seminário analisa as macrometrópoles chinesas e brasileiras

compartilhe:


O planeta conta com 32 aglomerações urbanas com mais de 10 milhões de habitantes. Elas reúnem 9,4% da população mundial e ocupam menos de 0,1% da superfície terrestre, segundo levantamento feito pelo projeto internacional e-Geopolis com base em dados de 2010.

Nessa lista, Xangai, com 78 milhões de habitantes, e Guangzhou, com 47,5 milhões, ocupam as primeiras colocações, à frente de Tóquio, com 40 milhões de pessoas.

A megacidade capitaneada por São Paulo apareceu na 11ª posição, com 18,7 milhões de habitantes [o IBGE informou no dia 30 de agosto que a estimativa para a população atual da Região Metropolitana de São Paulo é de 21,4 milhões de habitantes].

Esse impressionante crescimento das megacidades chinesas e as características de São Paulo e Rio de Janeiro, as megacidades do Brasil presentes na lista, serão discutidos por pesquisadores franceses e brasileiros no encontro Macrometrópoles de Alta Densidade: São Paulo e Xangai, no dia 12 de setembro, às 14h30, na Sala de Eventos do IEA [é preciso fazer inscrição prévia]. Haverá transmissão ao vivo pela internet. Os conferencistas falarão em português.

Os expositores serão François Moriconi-Ébrard, coordenador do projeto internacional e-Geopolis, titular da Cátedra Franco-Brasileira na Unesp e pesquisador do Conselho Nacional de Pesquisa Científica da França (CNRS, na sigla em francês); Roberta Fontan Pereira Galvão, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP; Cathy Chatel, pesquisadora visitante da Unesp e também integrante do e-Geopolis; e Hervé Théry, pesquisador do IEA e do CNRS. O seminário é organizado pelo Grupo de Pesquisa Políticas Públicas, Territorialidades e Sociedade do IEA e pela Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP

Moriconi-Ébrard mostrará porque, no momento em que a China se torna uma das primeiras potências econômicas mundiais, não é muito surpreendente descobrir que a população de suas duas maiores aglomerações pulverizou o recorte mundial precedente, detido por Tóquio em 2000. As dimensões das conurbações de Xangai e Guangzhou estão à altura das daquele país, de sua demografia, das escolhas de desenvolvimentos recentes se apoiando em cidades e de seu prodigioso e constante crescimento econômico desde algumas décadas, segundo Théry, coordenador do seminário.

A pressão demográfica e fundiária que pesa sobre São Paulo e Rio de Janeiro será o tema de Cathy Chatel. Ela e Maria Encarnação Sposito são responsáveis pelo Brasipolis, programa de pesquisa de pós-doutorado de Cathy sobre o Brasil financiado pela Fapesp e com utilização da metodologia do e-Geopolis.

De acordo com o estudo do e-Geopolis, em 2010, a megacidade paulista possuía 18,7 milhões de habitantes numa área de 2 milhões km2, o que significa uma densidade demográfica de 9,1 mil pessoas por km2. O Rio Janeiro estava com 1,1 milhões de habitantes em 1,4 milhão de km2, o que resulta numa densidade de 7,7 mil pessoas por km2.

O objetivo de Roberta Fontan é desvendar os espaços rurais intermetropolitanos no território da Macrometrópole Paulista (MMP), identificando-os através da análise de seus aspectos sociodemográficos e físico-territoriais e das suas transformações. Seu método de trabalho apoia-se na construção de uma cartografia temática que revele as características intrínsecas àquelas categorias. A pesquisa foi conduzida pela hipótese de que a classificação do território brasileiro em “rural” e “urbano” adotada pelo IBGE e fixada pelos municípios - em geral baseada em critérios arbitrários e que envolvem interesses locais - não esclarece sobre as reais dimensões dos dois planos.

O seminário será completado por exposição de Théry sobre Santa Cruz del Islote, uma das Ilhas de São Bernardo, no Caribe colombiano, considerada a ilha mais densamente povoada do mundo, com 1.250 habitantes vivendo em 10 mil m2.

Macrometrópoles de Alta Densidade: São Paulo e Xangai
12 de setembro - 14h30
Sala de Eventos do IEA, rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo
Evento gratuito, aberto ao público e com inscrição prévia
Para assistir ao vivo pela internet não é preciso se inscrever
Mais informações: Cláudia Regina Pereira (clauregi@usp.br), telefone: (11) 3091-1686
Página do evento: www.iea.usp.br/eventos/macrometropoles-sao-paulo-xanga

Fonte:http://www.iea.usp.br/noticias/macrometropoles-de-alta-densidade

RBCM. Laboratório de Investigação do Espaço da Arquitetura. Departamento de Arquitetura e Urbanismo. Centro de Artes e Comunicação. UFPE . Recife — PE. (81) 2126.7362